Hoje, o núcleo da sua empresa provavelmente gira em torno de seu servidor. Dados, informações, sistemas e tudo o que faz com que ela funcione está em um disco rígido em algum lugar, seja em seu servidor local, seja em um armazenamento em nuvem.

Devido à importância dessas informações, é essencial que você conte com uma estratégia correta de backup para seus dados. Afinal, a qualquer momento, um imprevisto pode acontecer e mandar o seu banco pelos ares!

Por isso, vamos mostrar agora o que é o backup em camadas quente e fria, no contexto do armazenamento em nuvem. Continue a leitura e fique de olho!

O que é o backup?

O backup nada mais é que uma cópia compilada das informações contidas em seu sistema, banco de dados e servidores. É uma cópia de segurança para ser usada caso qualquer problema ocorra com os originais.

Esses problemas podem ser desastres naturais, invasões de cibercriminosos ou até mesmo falha humana no mau trato com os dados armazenados.

Existem dois tipos de backup, o quente e o frio. A seguir, vamos explicar o funcionamento, as vantagens e as desvantagens de cada um deles.

Backup quente

Em algumas empresas, a necessidade de funcionamento do banco de dados é de 24 horas por dia e de 7 dias por semana. Com isso, não é possível realizar o backup com o BD indisponível para os usuários.

O backup realizado com o banco de dados em funcionamento é chamado de backup quente. Ele é a melhor escolha quando um banco deve funcionar continuamente e é grande demais para um backup rápido.

Backup frio

Esse é um backup realizado com o BD desligado e fora de operação. Aqui, é feita uma cópia exata do banco em um determinado tempo no espaço.

Esse é o tipo de backup mais utilizado por usuários comuns em seus computadores pessoais. Deve ser utilizado quando o banco de dados não tem necessidade de ficar disponível o tempo todo ou, ainda, quando possui pouco volume de informação.

Quais são as vantagens de cada um?

Veja as vantagens de cada tipo de abordagem para que você possa visualizar qual melhor se encaixa na realidade atual da sua empresa.

Backup quente

Entre as principais vantagens que podem ser citadas para a realização de um backup quente, está a possibilidade de realizá-lo sem interromper as atividades do BD.

Outro ponto importante a ser analisado é a capacidade de recuperar partes do banco, ao invés do todo. O backup quente é realizado por partes e, dessa maneira, pode-se recuperá-lo também por frações.

Backup frio

A vantagem mais proeminente no uso dessa abordagem é a facilidade e a curva mínima de aprendizado para utilizá-la. O backup frio é o mais simples, podendo ser realizado sem grandes conhecimentos de TI.

Além disso, a recuperação do banco como um todo é muito mais prática, já que acontece por meio de um arquivo único, e não de vários arquivos fragmentados.

E as desvantagens?

As duas abordagens possuem algumas desvantagens em comparação uma com a outra.

Backup quente

A abordagem de um backup em funcionamento juntamente com as rotinas normais do BD interfere na velocidade do banco e pode ocasionar lentidões pontuais. Ele também é muito mais complexo que a outra opção e, portanto, sua implementação exige expertise em rotinas de banco de dados.

Backup frio

O backup frio não é uma boa opção para o BD que deve estar disponível durante muito tempo ou que possui um volume de dados muito grande. Outra desvantagem é o fato de que, se qualquer informação for perdida, será necessário realizar o backup completo do banco, e não apenas da parte necessária.

Esperamos que, com este post, você entenda as principais diferenças entre o backup quente e frio com o armazenamento em nuvem. A Diferencial TI é uma empresa especializada em tecnologia e pode auxiliar você a encontrar a melhor solução para a sua empresa! Entre em contato conosco e descubra o que podemos fazer por você.

Felipe Lucena.
CTO & Partner na Diferencial TI.