A TI é, sem dúvida, uma área estratégica para qualquer empresa. A quantidade de recursos e soluções capazes de otimizar a rotina de trabalho é vasta.

Porém, nem sempre é fácil se manter alinhado com esse universo, dada a sua complexidade e nível de conhecimento técnico exigido.

Muitas vezes, o empresário tem que confiar na sua equipe, pois ele nem sempre detém todo o conhecimento necessário para opinar nas decisões.

Mas, embora não seja possível conhecer tudo sobre TI, existem alguns pontos importantes, e que fazem parte do dia a dia da empresa e que o empresário deve conhecer.

Por exemplo, você saber a diferença entre armazenamento e backup de dados? Não? Então este post pode mudar isso! Continue lendo e aprenda um pouco mais sobre o assunto!

Armazenamento de dados

O armazenamento de dados nada mais é do que a tarefa de alocar dados, arquivos, documentos e qualquer outro tipo de informação digital em um dispositivo de armazenamento.

Esse armazenamento pode ser feito de diversas maneiras. As formas mais comuns são:

  • armazenamento óptico — a exemplos dos CDs, DVDs, BluRay;

  • armazenamento magnético — o mais comum é o HD

  • armazenamento eletrônico —também chamadas de memórias de estado sólido, são os dispositivos que não se baseiam em partes móveis para a leitura e usam apenas circuitos eletrônicos. É o caso dos pendrives, cartões SD e SSDs.

Armazenamento em nuvem

Atualmente, quando o assunto é o armazenamento de dados, uma solução tem se destacada bastante, especialmente no meio corporativo.

A Cloud Computing — ou computação em nuvem, como também é conhecida — desponta como uma das maneiras mais inovadores e seguras de arquivar e compartilhar softwares, documentos e outros aplicativos por meio de uma rede de servidores remotos que podem ser acessados via internet, de qualquer dispositivo, por usuários com permissão.

Os dados são hospedados em um ambiente de nuvem, ou seja, não ficam “presos” no HD de uma máquina específica. É o modelo oferecido pelo Google Drive ou Dropbox, serviços que você provavelmente já utilizou ou já ouviu falar.

Apesar de muitos usuários utilizarem o armazenamento de dados como uma forma de salvar arquivos e documentos editados em suas máquinas locais, o serviço não foi desenvolvido com essa finalidade.

Ele não cria automaticamente cópias dos arquivos, apenas faz sincronização entre o ambiente local e o de nuvem.

Por isso, o armazenamento de dados não é necessariamente a melhor forma se salvaguardar os dados de uma empresa. Esse é o papel do backup de dados, que passaremos a falar adiante.

Backup de dados

É um método para criar cópias de segurança dos arquivos, softwares e outras aplicações. Diferentes réplicas dos dados presentes nas máquinas da equipe são criados e arquivados em diferentes locais fora da rede principal da empresa, que podem ser outros servidores ou até mesmo um ambiente em nuvem.

As cópias podem ser criadas automaticamente em intervalos de tempos pré-programados, que podem ser diários, semanais, mensais ou até mesmo a cada hora, de acordo com a necessidade de cada organização.

Dessa forma, caso haja qualquer problema que comprometa os dados originais, basta recuperar as cópias salvas.

O foco do backup de dados é manter a integridade e disponibilidade das informações. Assim, por exemplo, caso um servidor da empresa queime, existem sistemas auxiliares que geram cópias de toda a informação, alocando em diferentes dispositivos para proteger todos os dados.

Em ambientes empresariais, essa é uma medida de altíssima relevância e deve ser acompanhada pelos profissionais da TI.

Existem alguns tipos de backups que vale a pena conhecer. Vejamos:

Backup completo

Essa é a forma mais comum de realizar o backup. Nele, o que há é cópia de todos os dados de um dispositivo para outro. Assim, por exemplo, caso seja feito um backup diário, todos os dados serão copiados a cada 24 horas, tendo ou não sido modificados.

Um grande benefício dessa modalidade de backup para empresas é a maior facilidade em recuperar os dados e em menor tempo, permitindo que o negócio não sofra com interrupções demoradas.

Backup incremental

Essa é uma modalidade que, diferentemente da anterior, consiste apenas em realizar as cópias de dados que foram alteradas no período entre um backup e outro.

Uma das vantagens dessa metodologia é o menor volume de arquivos que são copiados e, consequentemente o tempo gasto para realizar o procedimento. Por esse motivo, ele é mais indicado para empresas maiores e que lidam com grande quantidade de dados.

Por outro lado, existe a desvantagem do processo de recuperação de dados, em caso de desastres, ser mais complexo e depende de um backup completo anterior à falha.

Backup diferencial

Essa é uma operação bastante semelhante ao incremental na primeira vez que é realizado, pois copiará todos os dados desde o backup anterior.

Contudo, cada vez que ele é feito após o primeiro backup, serão copiados todos os dados alterados em relação ao último backup completo e não ao último backup. Desse modo, o backup diferencial acaba armazenando mais dados do que o incremental e menos que o completo.

Aqui, os arquivos são carregados por “peso”, assim, se o volume de informações for muito grande, pode se tornar uma alternativa muito onerosa. Por isso, é recomendado para pequenas e médias empresas, que não lidam com muitos dados.

Backup incremental (progressivo)

O seu funcionamento é idêntico ao backup incremental, com a diferença de que no progressivo há uma melhora na disponibilidade dos dados.

No backup incremental progressivo há a automatização do processo de recuperação, de modo que não é preciso descobrir quais conjuntos de backups necessitam ser recuperados.

Armazenamento e backup de dados: quando usar cada um

De forma resumida, podemos dizer que o armazenamento de dados é mais indicado para organizações que desejam estimular o trabalho colaborativo, automatizar tarefas e/ou possuem profissionais espalhados por diferentes unidades ou até mesmo países. É uma solução focada em produtividade e facilitação de processos.

Já o backup é uma estratégia de segurança de dados, que tem como principal finalidade garantir que arquivos e informações não sejam perdidos ou comprometidos.

Vale ressaltar que optar por utilizar o armazenamento nas operações não exclui a necessidade de ter uma estratégia de backup de dados e vice-versa. É possível, e até mesmo recomendado, que os serviços sejam usados de forma complementar.

Sabemos que terminologias como cloud computing, ambientes em nuvem e backup de informações podem parecer uma realidade distante para as pequenas e médias empresas, mas isso é um engano.

A nuvem é uma solução cada vez mais acessível e, na verdade, pode representar uma grande redução de custos, seja diretamente, por meio da dispensa de compra de hardware para data centers, ou indiretamente, com o aumento da capacidade de entrega da equipe sem a necessidade de realizar novas contratações.

Pela primeira vez na história, graças à tecnologia de armazenamento e backup de dados na nuvem, é possível para as pequenas organizações obter uma infraestrutura de segurança de dados que antes era inviável devido ao alto custo de manutenção.

Gostou do post? Quer se aprofundar um pouco mais nesse tema? Então confira também o nosso post sobre a importância do backup para a sua empresa!

Felipe Lucena.
Gerente de Sucesso.