A Tecnologia da Informação (TI) define rumos no dinâmico mundo dos negócios. Certamente, você já faz uso de diferentes recursos tecnológicos em sua empresa, pois a empresa mais simples da atualidade dispõe de pelo menos, um computador e uma impressora.

Falando em tecnologia, você já ouviu falar em virtualização de servidores? Leia o post e saiba mais sobre o assunto!

O que é virtualização de servidores?

A virtualização é a criação da versão virtual de um sistema operacional, um servidor, um sistema de armazenamento, etc. Quando falamos em virtualização de servidores estamos falando em dividir os recursos de um hardware (servidor físico) em diversos servidores virtuais que podem ser usados com finalidade diferentes.

Dessa forma, é possível executar muitos sistemas operacionais a partir de um mesmo hardware, sem que haja interferência entre esses sistemas.

Como isso funciona?

Primeiramente, é preciso ter o servidor físico com seus recursos (CPU, memória, discos, conexões de rede e conexões a SAN). Nesse hardware, é instalado um sistema operacional básico que apresenta a capacidade de dividi-lo em partes menores (fatiamento do hardware). Esse sistema operacional recebe o nome de hypervisor e cada uma dessas partes corresponde a uma máquina virtual. Quanto menor for o espaço em disco e a memória, mais recursos terão as máquinas virtuais e menores serão as possibilidades de problemas e a necessidade de manutenção.

O hypervisor simula, em cada divisão do hardware, uma máquina virtual. Cada máquina virtual possui capacidades diferentes conforme suas próprias necessidades. Assim, uma delas pode ter mais memória, a outra mais espaço em disco e outra mais processador. Na configuração dos hypervisores mais desenvolvidos, é possível dividir o tráfego, priorizando conforme a máquina virtual.

Os discos ficam arquivados dentro do sistema operacional ao passo que a CPU e a memória são utilizadas sob demanda.

Dentro de cada uma dessas máquinas virtuais, será instalado um sistema operacional diferente, que funcionará isolado dos outros e usará somente os recursos que lhe forem destinados. Um servidor com 10 GB de memória pode ter 5 sistemas com 2 GB cada desde que a totalidade dos recursos não seja usada ao mesmo tempo.

Como é a virtualização de servidores em empresas?

Em ambientes empresariais que possuam alta disponibilidade, as máquinas virtuais ficarão armazenadas em uma SAN, ou seja, em um espaço de armazenamento compartilhado por todos os servidores. Esse espaço é chamado de storage. Caso o SAN seja virtual recebe o nome de VSAN.

Para as empresas, a possibilidade de gerenciar os discos a partir de um único ponto representa uma vantagem, permitindo que se faça uma distribuição de desempenho mais uniforme e que sejam definidas prioridades entre os sistemas operacionais instalados.

Quais os benefícios da virtualização de servidores?

A virtualização de servidores traz diversas vantagens para a empresa, entre as quais podemos destacar:

  • Redução de downtime (tempo de inatividade do sistema): a virtualização evita perdas de dados, paradas não planejadas, paradas no ambiente de produção e assim por diante;
  • Automação mais apurada dos processos;
  • Taxa de utilização do servidor pode subir para 65% a 90%;
  • Maior retorno sobre o investimento;
  • Redução de custo operacional (até 40%), inclusive de energia elétrica;
  • Otimização do espaço físico;
  • Melhor utilização dos recursos disponíveis;
  • Gerenciamento centralizado;
  • Backups facilitados e mais segurança;
  • Facilidade de recuperação em caso de desastres;
  • Independência do servidor físico;
  • Aplicações em plena compatibilidade;
  • Adaptação a diferentes cargas de trabalho;
  • Migração de ambientes fácil e transparente;
  • Uso de máquina virtual (VM) como ambiente de desenvolvimento;
  • Possibilidade de simulações.

Quais são os mitos sobre a virtualização de servidores?

Apesar de trazer muitos benefícios para a empresa, a virtualização ainda causa dúvidas em muitos interessados em razão das complexidades que traz consigo, como a configuração do hardware e as necessidades do monitoramento de desempenho e segurança.

Os especialistas em TI devem orientar seus clientes para que eles tomem as melhores decisões ao investir em novas tecnologias. No caso da virtualização de servidores, os principais mitos que precisam ser desfeitos são:

1. Se o servidor físico quebrar, não há mais acesso às VMs

Essa afirmação é incorreta. As VMs podem ser acessadas por outros servidores, sem haver a necessidade de reinstalar todos os seus programas e configurações.

2. Como o ambiente é virtual, não há controle sobre a segurança

Outra premissa falsa. Tanto servidores físicos quanto virtuais têm as mesmas configurações. São as empresas que devem definir as normas de segurança a serem seguidas e garantir seu cumprimento.

3. Empresas pequenas não se beneficiam da virtualização de servidores

Essa tecnologia é indicada para qualquer empresa que necessite de mais de um servidor, uma vez que economiza espaço físico e de infraestrutura, além de ser de fácil gerenciamento e manutenção.

4. A tecnologia tem custo alto

Os investimentos iniciais (contratação de provedores, aquisição de equipamentos e softwares) acabam retornando no médio e no longo prazo em forma de economia de energia, menos manutenção e diminuição de gastos operacionais.

Além disso, é comum que os provedores ofereçam treinamento para toda a equipe. Assim, os custos com a qualificação de pessoal são eliminados e eles estarão preparados para lidar com a tecnologia no dia a dia sem perda de tempo.

5. Sistemas virtuais têm desempenho inferior

Em termos de desempenho, os resultados são semelhantes. A verdade é que a virtualização tem a vantagem de não deixar computadores ociosos: todo o espaço contratado é dedicado ao trabalho da empresa, o que permite uma melhor alocação de recursos.

Por onde começar?

O primeiro passo é avaliar se o investimento na virtualização de servidores pode melhorar o desempenho da empresa. Vale pensar se:

  • haverá redução significativa de custos;
  • facilitará os processos internos;
  • dará agilidade ao processamento de informações;
  • haverá aumento na produtividade.

Caso as respostas para essas questões não estejam claras ou se os ganhos não forem significativos, talvez a virtualização não seja o melhor caminho a seguir. Além disso, é fundamental pensar em quem será responsável por esses servidores virtuais — que faça sua manutenção e ajustes quando necessário.

Entendeu agora o que é a virtualização de servidores, as vantagens que ela pode trazer para sua empresa e quais são os mitos que devem ser superados? Assine nossa newsletter, seja sempre o primeiro a receber as nossas novidades e fique bem informado!

cta-ebook-virtualizacao

Felipe Lucena.
CTO & Partner na Diferencial TI.