Com o desenvolvimento tecnológico correndo em uma velocidade cada vez mais alta, fica quase impossível que uma empresa não pense nas melhores estratégias para inserir e gerir o uso de tecnologia em seus processos internos — principalmente porque o consumidor busca por alternativas tecnológicas e confia em produtos que trazem essa chancela em sua produção.

Sabemos que, para acompanhar esse desenvolvimento constante, é preciso de profissionais especializados e infraestrutura, ou seja, investimento.

Então, vem a dúvida: seria isso um investimento ou um custo? Nesse post, tentamos desvendar essa problemática para entendermos melhor esta situação recorrente no dia a dia das organizações.

A diferença entre custo e investimento

Nosso ponto de partida para entender isso é discutir os conceitos de investimento e custo. Para isso, vamos adotar uma comparação básica, que é suficiente para compreendermos essa questão:

Investimento é qualquer aporte financeiro que a empresa realize para aumentar a produção e, consequentemente, o lucro. Ou seja, é uma aposta da organização para trazer novos resultados.

Custo é o aporte financeiro para a manutenção do que já existe na empresa, ou seja, para garantir o funcionamento e a produção daquilo que a organização já realiza.

Dessa forma, fica claro qual a diferença entre custo e investimento, para analisarmos em qual definição a gestão de TI pode ser inserida.

A situação vista de duas formas

Tendo em vista a importância que uma gestão de TI profissional tem na estrutura da organização para torná-la ainda mais competitiva no mercado, podemos visualizar essa questão de duas formas diferentes.

A primeira é a gestão de TI como custo. Sabemos que ela é fundamental nos processos já existentes na empresa para facilitar a rotina, minimizar erros e agregar valor aos produtos já próprios de determinada organização. A gestão de TI, então, ocupa um mesmo lugar que o marketing, o departamento comercial ou a contabilidade, ao apoiar a melhor entrega de resultados possível.

Porém, ela também pode ser investimento, se ocupa um lugar de inovação. E essa é uma das principais características da gestão de TI, a capacidade de inovar e encontrar novas possibilidades para as organizações. Quando essa gestão é realizada com responsabilidade e excelência, provoca o aumento dos lucros e a obtenção, inclusive, de novas estratégias e rumos para o negócio.

Uma gestão eficiente

Com todas essas informações, podemos perceber que a gestão de TI é, sem dúvida, essencial para o sucesso das organizações. Afinal, ela é capaz de inovar, agilizar processos, reduzir custos, diminuir falhas entre outras funções.

Portanto, esse investimento é necessário e precisa ser realizado da forma correta e com o máximo de qualidade.

Uma dica importante é sempre contar com profissionais altamente especializados, como uma consultoria em TI, para direcionar esses investimentos para as opções que trarão os melhores resultados para a organização.

Com isso, podemos concluir que a gestão de TI é essencial e precisa ser considerada como estratégica em organizações que pretendem se tornar, cada vez mais, competitivas.

Se você gostou do post e quer se aprofundar no assunto, leia agora algumas dicas valiosas sobre como aperfeiçoar sua gestão de TI!

 

Lameck Oliveira.
CEO & Partner na Diferencial TI.