Em proporções diferentes, toda empresa está sujeita a sofrer desastres, sejam naturais, como inundações e desabamentos provocados por chuvas e forças da natureza, sejam causados por seres humanos, como incêndios, sabotagens e outros acidentes.

A questão é que a realidade é alarmante, pois muitas empresas não estariam preparadas para se recuperar e restabelecer suas atividades operacionais se sofressem um desastre hoje. Não somente sua produtividade e resultados, mas sua sobrevivência estaria comprometida.

Por isso é muito importante que todo empreendimento tenha um plano de recuperação de desastres. Continue lendo para descobrir o que é e como fazer.

O que é um plano de recuperação de desastre?

Tem o intuito de não somente prevenir riscos, como também remediar as consequências causadas por acidentes e incidentes de pequenas, médias e grandes proporções.

Em um plano de recuperação de desastre devem estar contidas todas as medidas necessárias para que a empresa retome suas atividades operacionais dentro do menor prazo possível, sofrendo a menor quantidade de prejuízos, de forma que sua produtividade e seus resultados não sejam afetados permanentemente.

Mas apesar deste termo, ele não consiste apenas na recuperação mas também na prevenção de incidentes e acidentes que podem afetar o negócio, sendo focado principalmente na proteção das informações da empresa.

Como fazer um plano de recuperação de desastre?

Sistema de comunicação de dados

sistema de comunicação de dados e gestão de TI da empresa funciona, principalmente, por meio de uma conexão com a internet, seja por banda larga ou internet dedicada. A empresa deve optar entre os dois modelos mediante sua necessidade.

Uma conexão por banda larga “divide” sua velocidade e capacidade de transferência e recebimento de dados com todos os dispositivos e computadores ligados à rede, o que, dependendo do fluxo de usuários conectados, pode tornar a conexão lenta e instável.

Enquanto isso, uma conexão por link de internet dedicada transmite apenas dados específicos em um único canal, o que a torna muito mais rápida e estável.

Portanto, um plano de recuperação de desastres inclui um sistema de comunicação de dados seguro, ágil e eficiente. Vale ressaltar, ainda, que se há disponibilidade em sua cidade, redes de fibra ótica são altamente recomendadas para integrar os sistemas de comunicação de dados empresariais.

Redundância dos dados e recursos

Um dos meios de se garantir a segurança dos dados e a eficácia do plano de recuperação de desastre é com a redundância de arquivos e recursos.

Ou seja, um data center primário é sempre uma medida preventiva adequada, pois tem fontes alternativas de energia, como “no breaks”, geradores e outros recursos que evitam que as informações sejam perdidas ou aplicações e arquivos sejam corrompidos por conta de uma brusca queda de energia.

Além do data center primário, se a empresa dispõe de recursos para isso, é recomendado que exista também um data center secundário, para que todos os dados sejam replicados, ou seja, para que ocorra a redundância de arquivos e recursos da empresa.

Rotina de backup

Como o próprio termo já diz, é importante estabelecer uma rotina de backup para manter os arquivos da empresa em um alto nível de segurança.

O backup dos arquivos, aplicativos e softwares da empresa deve ser realizado com uma devida frequência para que não haja margem de espaço para riscos de dados importantes serem perdidos por conta de um incidente inesperado. Por isso, além do backup periódico, é importante que também ocorram testes de rotina para que a qualidade da gravação dos arquivos possa ser certificada.

É altamente recomendado que os backups sejam armazenados em servidores digitais (computação em nuvem) e também em unidades físicas para que a segurança dos arquivos seja garantida. Além disso, essas unidades físicas devem ficar em lugares distintos por precaução e disponibilidade.

Como você pôde conferir, um plano de recuperação de desastre não envolve apenas medidas corretivas, mas principalmente medidas preventivas. Afinal, prevenir as consequências de acidentes que podem comprometer toda a operação, reduzir custos e assegurar a produtividade do negócio.

Compartilhe sua opinião e dúvidas sobre o assunto, deixando um comentário no post!

[]’s,

Lameck Oliveira.