O assunto abordado hoje será o Desenvolvimento Ágil – ou Agile, tão usado no desenvolvimento de projetos. Apresentarei detalhes sobre a metodologia Scrum e como utilizar o Kanban Board para tornar o Scrum ainda mais eficaz.

Vale lembrar que a Metodologia Ágil originou-se na necessidade de desenvolvimento de software, entretanto, hoje em dia, existe uma série de frameworks que podem ser utilizados em diferentes áreas de negócios, sempre com o objetivo de trazer benefícios ágeis para a gestão de projetos.

Leia esse post até o final e descubra como otimizar os resultados da sua equipe!

Guia de Scrum

Scrum

O Scrum é um framework bastante simples e é utilizado para gerenciar projetos complexos. Se você conhece pouco dos requisitos do projeto ou vai utilizar tecnologias mais complexas, o Scrum é a metodologia ideal para você gerenciar esse tipo de desafio.

Vou explicar com detalhes os passos de como aplicar essa Metodologia Ágil, quem deve estar envolvido e quais são as responsabilidades de cada um neste processo.

Inicialmente, vamos apresentar os três pilares que sustentam a metodologia Scrum:

  • Transparência: Todos precisam ter conhecimento dos processos, dos requisitos de entrega e do status;
  • Inspeção: deve ser inspecionado o que está sendo feito no projeto. Esse acompanhamento deve ser feito nas reuniões diárias ou na reunião de revisão.
  • Adaptação: Tanto o produto quanto o processo sofrem constantes mudanças e a adaptação é bastante importante. Outra adaptação que pode ocorrer é do próprio Scrum, para que a metodologia seja mais bem encaixada na realidade da empresa.

Papéis, Eventos e Artefatos

Agora que sabemos quais são os pilares do Desenvolvimento Agile, vamos aprender quais são as práticas de Scrum que são fundamentais: os papéis, os eventos e os artefatos.

Os papéis que o Scrum possui são: o Scrum Master, o Product Owner e o Dev Team. Sem esses três papéis, a metodologia não está sendo aplicada. Vamos entender cada um deles:

  • Product Owner: é o contato central do projeto com poderes de liderança sobre o produto. Ele é o único responsável por decidir quais recursos e funcionalidades que serão construídos e qual a ordem em que eles devem ser executados. É o Product Owner quem deve comunicar e manter a visão clara do que a equipe precisa alcançar durante o projeto. O Product Owner também faz a priorização dos itens do Product Backlog;
  • Scrum Master: é responsável por ajudar o time de Scrum envolvido a abraçar e entender os valores, princípios e práticas do Scrum. Ele tem o papel de agir com um Scrum Coach e executar a liderança do processo dentro da equipe, sendo um facilitador e não um chefe;
  • Dev Team: são os responsáveis por construir o projeto. São eles que decidem como vão executar as tarefas da melhor maneira para atingir o resultado esperado.

Os Eventos que acontecerão durante a aplicação da metodologia são, exatamente nesta ordem:

  • Planejamento do Sprint;
  • Execução do Sprint;
  • Reuniões Diárias;
  • Revisão do Sprint;
  • Retrospectiva do Sprint.

E por fim, os Artefatos gerados no Scrum são:

  • Product Backlog;
  • Sprint Backlog;
  • Entrega parcial do produto.

Dinâmica do Scrum

O primeiro passo é ter a visão do produto e essa tarefa é do Product Owner. Ele pode apresentar um caso de negócio, uma tela do projeto ou qualquer tipo de macro planejamento do projeto descrevendo o que ele quer e aonde ele quer chegar.

O segundo passo é desmembrar a visão em todas as funcionalidades que são necessárias para alcançar o resultado, o que resultará no Product Backlog. É o Scrum Master que auxilia o Product Owner na tarefa de criar o Product Backlog.

É importante ressaltar que essas funcionalidades do Desenvolvimento Agile são ordenadas por prioridades de execução, levando em consideração quais agregam mais valor ao negócio, dividindo, por exemplo, em: “imprescindível”, “importante” e “seria bom ter”. Quem faz a priorização é o Product Owner.

Para planejar o projeto, é usado o Sprint, que é o período de tempo que serão executados os Backlogs e feita uma entrega ao cliente. Para organizar cada Sprint, é preciso seguir uma regra do Scrum, que é ter um tempo-fixo para cada execução de cada Sprint.

Normalmente, os Sprints tem duração entre 2 e 4 semanas. O Scrum Master pode ajudar o time a definir qual é a duração de cada Sprint para o projeto em questão.

Antes de cada Sprint ter início, é feita uma reunião de planejamento, também conhecida como Sprint Planning, onde é criado o Backlog do Sprint. Com base na capacidade e na velocidade da equipe Scrum, são definidas quantas funcionalidades do Sprint Backlog podem ser completamente construídas no tempo definido para o Sprint.

Depois que o Sprint acaba, é esperado que um incremento do produto seja entregue ao cliente para ele testar.

Diariamente, é feita uma reunião de 15 minutos, onde cada membro do time deve sempre responder a três perguntas básicas:

  1. O que eu fiz ontem para atingir a meta do Sprint?
  2. O que farei hoje para atingir a meta do Sprint?
  3. Tem algum impedimento que não permita a mim ou ao time a atingir a meta do Sprint?

O objetivo de responder essas questões é para ter a visão geral de progressão de execução deste Sprint. Ao final de cada Sprint, existem duas atividades fundamentais que devem ser feitas por todos os membros.

A primeira delas é o Sprint Review, que valida e adapta o produto que está sendo construído, verifica que o que está sendo feito pela equipe está de acordo com o esperado pelo cliente.

É nesta etapa que podem surgir possíveis mudanças para seres adicionadas no quadro de funcionalidades.

A segunda atividade executada nesta etapa é a Retrospectiva, que tem como objetivo de revisar e adaptar o processo. É aqui que o time vê o que foi feito de positivo e o que não foi tão bom e pode ser melhorado no próximo Sprint.

Essas etapas vão se repetindo até que todos os Sprints sejam executados e todo o produto seja entregue ao cliente. Como podemos ver, é uma metodologia bastante simples que pode ser utilizada em projetos complexos para tornáveis mais fazíveis, dividindo grandes eventos em pequenos Sprints.

A equipe mantem-se motivada, pois a cada Sprint, há uma entrega e a sensação de que o trabalho está tendo resultados.

Guia de Scrum

Kanban Board

Uma metodologia que não faz parte do Scrum, mas que é muito utilizada como ferramenta para melhor executar o Scrum é o Kanban Board. É uma ferramenta bastante simples, mas que promove a gestão e a transparência durante a execução de projetos utilizando o Scrum.

O objetivo do Kanban Board é visualizar o fluxo de trabalho que está sendo executado. Para tanto, cria-se um board que é dividido em colunas com os títulos: backlog – fazendo – validação – concluído.

Durante o projeto, acontece a movimentação dos backlog nas colunas para que se tenha uma visão clara do que está sendo feito, do que está em validação e o que já foi concluído. Esse board pode ser um software próprio, como o Jira ou Trello. Pode ser usado algo mais simples também, uma parede ou quadro com post-its para serem movidos entre as colunas.

Conclusão

Esperamos que você tenha gostado deste conteúdo! Se você precisar de mais informações sobre a metodologia ou tiver dúvidas, entre em contato conosco agora mesmo. Estamos prontos para te atender e tirar todas as suas dúvidas! 

 

[]’s,

Lameck Oliveira