Se você está buscando aumentar a eficiência da sua empresa, a metodologia Kanban pode ser a ideal para você. Preparamos esse post explicando o que é e como funciona esse método.

Primeiramente, vamos ao significado da palavra em si: Kanban é uma palavra de origem japonesa, que surgiu na década de 40 com a empresa Toyota. Vale ressaltar que o Kanban é parte do Just in Time, também desenvolvido pelos japoneses. Kanban, na sua tradução literal, significa sinalização ou cartão.

O Kanban também é conhecido como “método de gestão visual”, pois a metodologia toda é baseada em referências visuais.

O que é a Metodologia Kanban?

O objetivo da metodologia Kanban é aumentar a eficiência de uma empresa, garantindo um maior controle sobre os processos da mesma. O Kanban organiza o fluxo de produção e descobre os gargalos no processo de produção.

O Kanban é a comunicação interna da empresa para notificar os vários times sobre quais as ações são ou não necessárias. Além disso, mostra se são ou não urgentes.

Tipos de Kanban

Há dois tipos de Kanban: o de produção e o de movimentação.

No Kanban de Produção, são utilizados murais ou softwares que ficam disponíveis para os colaboradores responsáveis por executarem as tarefas de produção. O Kanban de produção é dividido em três:

  1. To do (a fazer): tarefas a serem feitas;
  2. Doing (em andamento): tarefas sendo executadas;
  3. Done (finalizadas): tarefas que foram concluídas.

Esse quadro ou software contém cartões fixados. Cada cartão exibe uma breve explicação sobre a tarefa, prazo de início e fim, além do nome do colaborador que ficou responsável pela tarefa em questão.

Já no Kanban de Movimentação, é a comunicação entre os setores de produção sobre o momento perfeito para realizar uma tarefa.

É o sinal verde, por exemplo, de comando para iniciar uma nova fase da cadeia produtiva da empresa, evitando produzir mais ou menos do que o necessário, gerando o menor estoque ou uso de matéria-prima necessária para a necessidade do momento.

Princípios básicos do Kanban

Para uma visão mais ampla desta metodologia, veja quais são os 4 princípios básicos do Kanban:

  1. Estímulo visual: As três listas (to do, doing e done) tornam mais visíveis e latentes as prioridades de demandas, os atrasos, urgências e entregas;
  2. Fluxo de trabalho: no Kanban, as demandas são limitadas. Os itens em progresso precisam ser concluídos antes que novas demandas deem entrada;
  3. Colaborativismo: a equipe se organiza para o trabalho fluir, impedindo que um atrapalhe o trabalho dos outros, já que o Kanban permite a visibilidade dos processos produtivos;
  4. Desenvolvimento contínuo: o Kanban aponta pontos de melhorias, conforme o resultado que o quadro se traduz aos olhos dos gestores. Por isso, quem trabalha com essa metodologia deve ser aberto a mudanças e a experimentação de novas formas de executar a mesma tarefa, sempre buscando mais eficiência e ter menos tarefas no to do e mais do doing e done.

Vantagens do Kanban

Na visão de produção, o Kanban limita a quantidade de estoque mínimo e máximo, evitando gastos desnecessários ou fabricação extra de produtos. Quando aplicado nos escritórios, é possível ver gargalos de tempo ocioso ou de equipes que estão sobrecarregadas.

O objetivo, seja na produção ou no escritório, é que a lista de ‘to do’ e de ‘doing’ seja sempre menor do que a de ‘done’. As atividades devem ser cumpridas sempre dentro do prazo estimado, otimizando o processo produtivo ou criativo.

Conclusão

Agora que você já sabe para que serve e como é aplicada esta metodologia, que tal começar a implantar este método tão eficaz dentro da sua empresa? Conte conosco para a implementação.

E se você gostou deste post, conta pra mim! Ficou com alguma dúvida e gostaria de compartilhar comigo? Comenta logo abaixo ou entra em contato comigo através do e-mail lameck.oliveira@diferencialti.com.br

 

[]’s,

Lameck Oliveira